Passo a passo Horta-Jardim na varanda: (8) Secagem de plantas aromáticas, condimentares e medicinais

Porque as plantas têm estações próprias de crescimento, não é possível tê-las frescas durante todo o ano. Têm de ser colhidas, secas e armazenadas, para serem utilizadas quando necessário. Devem ser secas o mais depressa possível.

O objectivo da secagem é eliminar uma alta percentagem de água retida nas células vegetais, evitando a deterioração da erva e promovendo, assim, um aumento de vida útil do material, que poderá ser armazenado e utilizado até a próxima colheita.

Apesar de a secagem apresentar várias vantagens, algumas plantas perdem boa parte das suas propriedades medicinais durante o processo e devem ser consumidas preferencialmente frescas.

Qual a melhor estação para colher?

A maior parte das plantas medicinais é colhida no Verão, antes das flores se abrirem. Isto garante o melhor sabor, pois as plantas contém o máximo de óleos essenciais antes de florescer. As folhas das plantas perenes, como a salva e o tomilho, podem ser apanhadas em qualquer altura, mas não convém apanhar grandes quantidades quando houver risco de geada.

Devem ser colhidas num dia seco, depois do orvalho ter desaparecido e antes do sol começar a incidir na planta e evaporar os óleos essenciais voláteis.

Que plantas secar?

Alecrim, endro, estragão, funcho, hortelã, louro, manjericão, oregão, salva, segurelha, tomilho, camomila…

Qual o melhor local para a secagem?  

As folhas, flores e sementes devem secar em local com temperatura nunca superior a 33 º C e nunca abaixo dos 21º C. O local dever ser seco, escuro (para não mudar a cor da planta) e ventilado. Caves, dispensas e sótãos são locais ideais para secar ervas.

Como fazer?

No dia anterior à colheita lavar as plantas borrifando-as com água.

Há dois métodos básicos para secar ervas frescas:

  1. As folhas e as flores podem ser colhidas e secas num tabuleiro sobre papel;
  2. Orégão, tomilho, louro, salva, alfazema, alecrim, devem ser secos em molhos atados e com os caules  virados para cima. O ideal é que cada maço tenha no máximo 5-10 caules para facilitar a ventilação. Abanar os caules para se certificar que não existem insectos. Depois de dispensar as folhas murchas ou mortas, embrulhar dentro de um saco de papel – podes fazer alguns furos para facilitar a ventilação. Pendurar e deixar secar durante uma a três semanas. As ervas estarão secas quando elas estiverem quebradiças ao toque. Atenção: o caule demora mais tempo a secar, está seco quando partir ao dobrar.

Quando secas, tirar as folhas dos caules, mantê-las inteiras, para que conservem o aroma o máximo de tempo possível, parti-las apenas se tiver que ser, para caberem nos frascos, e esmagá-las mesmo antes de usar. As folhas devem ser guardadas em frascos herméticos de vidro escuro ou ao abrigo da luz do sol, da humidade e do pó.

Pôr etiquetas nos frascos, com o nome e a data. Se houver alguma condensação no frasco, é porque as folhas foram guardadas sem estarem bem secas. Retirá-las imediatamente e secá-las mais.

Índice “Passo a passo Horta-Jardim na varanda”

Anúncios